Cana, laranja e soja sim
Publicada em: 11 de janeiro de 2017

Sebastião Garcia, de Capão Bonito
Dois dias em São Paulo e muitas curiosidades para registrarmos no Projeto Soja Brasil. O estado tem hoje 792 mil hectares plantados com soja com uma produção superior a 43 milhões de sacas. Deste total, quase um terço sai da região sudoeste, por onde passamos.

Chegamos na segunda-feira, dia 9 de janeiro, à cidade de Capão Bonito. Uma terra considerada pelos moradores como abençoada. E deve ser mesmo. A agricultura tem história nesta região. Desenvolveu-se com a chegada dos colonizadores japoneses, nos anos 30, que plantavam batata e tomate. As terras hoje são férteis e o pessoal que domina os negócios no campo, é altamente tecnificado.

Os produtores daqui não ficam atrás de ninguém. Produzem muito e bem. Na soja a produtividade chega a uma média de 75 sacas por hectare.  No mínimo, 20 a mais que a média nacional. A força no campo é justificada muito também pelo cooperativismo. A Cooperativa de Agricultores de Capão Bonito representa a maioria dos produtores e tem capacidade para armazenar até um milhão de toneladas de soja a cada safra. Isto é mais de 60% da produção total do município.

De Capão Bonito fomos para Paranapanema e encontramos outra situação exemplar de eficiência na produção agrícola. Por ali, se vê muita plantação de cana ainda, cultura tradicional no estado. Além disso, a mesma fazenda ainda se divide para produzir laranja, algodão, milho, feijão e soja. Nestas terras, a atuação da cooperativa também tem peso nos resultados.

Conversei com o presidente da Cooperativa Agroindustrial de Holambra, Simon Veidt, que representa 37 mil hectares de soja na região, que foi colonizada por holandeses. Ele me garantiu que a média de produtividade da soja ali chega a 67 sacas por hectare. Imagine! Ainda mais considerando que, nesse ano, os produtores priorizaram a semeadura do feijão, porque estava valendo mais. Assim plantaram a soja mais tarde que de costume. E, como se sabe, a soja do tardio perde em produtividade.

Conheci também o Abel, gerente de uma fazenda no município, que decidiu plantar no final de dezembro e ainda está com a soja novinha no campo. O plantio tardio, como fez o Abel e muitos outros produtores de Paranapanema, tem lá suas consequências. Além da perda de produtividade, como já disse, outras duas, pelo menos, bem importantes: maior risco de pragas e doenças e aumento de custos.

O calor e umidade deste período favorecem o aparecimento de pragas como a mosca branca e do fungo da ferrugem asiática. Vimos mosca branca na fazenda administrada pelo Abel. E,  registramos a preocupação dele com o controle também. Só com as pulverizações ele terá um gasto 30% mais alto nos custos de produção. A produtividade mal vai chegar a 50 sacas por hectare. Serão necessários 45 sacas só para pagar os custos.

Felizmente, Abel planejou bem os negócios este ano. A maior parte desta soja ele já tinha comercializado no mercado futuro. Conseguiu R$80 por saca, lá em no meio do ano, quando a cotação estava boa. Assim, mesmo com pragas e doenças, pode se dizer que ele está de boa agora. Surpreendentemente, de boa. O que é o planejamento, né!!

WhatsApp Image 2017-01-11 at 09.27.34

 

Sobre o Projeto Soja Brasil
O projeto tem a realização do Canal Rural e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), com a coordenação técnica da Embrapa Soja. O apoio institucional é do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB). A consultoria é de Safras & Mercado e Somar Meteorologia. O patrocínio é de Ihara e Mitsubishi Motors.

Mais notícias do blog

Publicada em: 20 de setembro de 2018

O produtor de soja Pablo Schmidt Rosa, de Mangueirinha (PR), mostrará a cada semana como está se desenvolvendo as lavouras de sua região> desde o manejo aplicado até as dificuldades e acertos comuns de quem vive a cultura todos os anos. A cada semana novos capítulos serão acrescentados à história, além de fotos e vídeos. Vamos acompanhar esta soja?

Publicada em: 4 de julho de 2018

Evento que acontecerá em Uberlândia (MG) no dia 26 de julho, marcará o início da safra da principal cultura agrícola do país. Veja todos os detalhes deste primeiro encontro

Publicada em: 4 de abril de 2017

Sebastião Garcia Preciso dizer, antes de tudo, que me sinto um privilegiado. Privilegiado por ter participado do Projeto Soja Brasil neste ano de forma tão efetiva. De ter convivido com produtores rurais. Eu e minha equipe estivemos cada dia numa propriedade, cada dia numa cidade, numa região. Foi assim durante 20 dias no mês, durante nove […]

Publicada em: 20 de fevereiro de 2017

As fazendas que visitamos no Tocantins dão a ideia da grandeza deste estado. Passamos em duas. Uma com mais de 30 mil hectares

Publicada em: 26 de janeiro de 2017

Vivi dias de grata satisfação esta semana. Satisfação e surpresa. Começo pela surpresa. Cheguei com minha equipe no sábado, dia 21, a cidade de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, na fronteira entre Brasil e o Paraguai. A primeira imagem (e que me causou curiosidade), é dos grandes shoppings do lado paraguaio, na cidade […]