China importará menos soja nesta safra, diz Ministério da Agricultura do país
Publicada em: 12 de julho de 2018

Após as tarifas impostas pelos Estados Unidos e a resposta chinesa, as perspectivas sobre a compra do grão diminuíram quase 2%

Como terminará o embate entre China e Estados Unidos ainda não se sabe, mas os efeitos disso já começam a aparecer. Nesta quinta-feira, dia 12, o Ministério da Agricultura da China divulgou uma estimativa sobre a soja ruim para a temporada 2018/2019. O país asiático prevê diminuir em quase 2% as importações da oleaginosa.

Por lá, a temporada 2018/2019 começa no dia 1 de outubro e a previsão é de que os chineses comprem 93,85 milhões de toneladas, contra os 95,97 milhões da safra anterior e os 103 milhões previstos pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). No relatório anterior, os chineses estimavam importações na casa dos 94,54 milhões de toneladas.

O relatório do ministério chinês diz que as novas tarifas sobre os embarques dos Estados Unidos irão elevar os preços do grão. O que significa, para os processadores que produzem farelo e óleo, que devem buscar outras fontes de proteína, como girassol, por exemplo.

Veja mais notícias sobre soja

Sobre o Projeto Soja Brasil
O projeto tem a realização do Canal Rural e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), com a coordenação técnica da Embrapa Soja. O apoio institucional é do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB) e da Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem). A consultoria é de Safras & Mercado e Somar Meteorologia. O patrocínio é de BASF e Mitsubishi Motors. O apoio nos eventos é de Yara Brasil Fertilizantes.

Mais notícias do Projeto Soja Brasil

Publicada em: 15 de julho de 2018

Para eles, a soja brasileira pode até lucrar mais imediatamente ao suprir a demanda chinesa, mas isso pode gerar desequilíbrio a médio e longo prazo com outros parceiros

Publicada em: 13 de julho de 2018

Expectativa inicial é de que a produtividade seja menor, mas com incremento de 2,3% na área semeada com a oleaginosa, os números finais serão maiores que as da temporada anterior. Veja o quadro completo!

Publicada em: 13 de julho de 2018

Segundo levantamento da Farsul e da consultoria Safras & Mercado a situação ainda é bastante complicada. A própria Conab já afirmou não ter conseguido contratar caminhoneiros autônomos

Publicada em: 13 de julho de 2018

Segundo a meteorologia as temperaturas voltam a subir em todo o país, com possibilidade de o Rio Grande do Sul registrar máxima de 30ºC

Publicada em: 12 de julho de 2018

Se as expectativas da entidade se confirmarem, a colheita brasileira da oleaginosa ultrapassará em volume a americana, tornando-se a maior do mundo, com 120 milhões de toneladas