Chuvas diminuem nas áreas de soja do Rio Grande do Sul nesta quarta
Publicada em: 16 de janeiro de 2019
Soja alagada em Alegrete

Soja alagada em Alegrete. Foto Caio Nemitz

Além de destacar um município por estado do país, o Projeto Soja Brasil irá destacar as condições climáticas para a Fronteira Oeste do RS, que tem sofrido com o excesso de precipitações

A formação de um frente fria no sul do Brasil tem trazido mais temporais para o Rio Grande do Sul, com rajadas de vento de 80 km/h e acumulados de quase 90 mm em Maquiné, no extremo nordeste do estado. Fortes temporais também foram observados entre o estado de São Paulo e Minas Gerais, como em Barbacena, que acumulou mais de 90 mm em 24 horas. Vale observar que os paulistas tiveram chuva intensa nesta madrugada de quarta-feira (dia 16), com acumulados de entre 35 mm e 20 mm no Vale do Paraíba.

SUL

Uma nova frente fria se forma e avança pela costa da região Sul, o que mantém os temporais desde o Rio Grande do Sul até o Paraná nesta quarta-feira. Os maiores acumulados ficam concentrados na metade leste gaúcha, além do sul catarinense e leste paranaense. No entanto, apesar dos acumulados menos expressivos, há risco para temporais sobre praticamente toda a região. As pancadas ocorrem acompanhadas por trovoadas, descargas elétricas e eventual queda de granizo. Além disso, há rajadas de ventos acima de 70 km/h no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Outro destaque é calorão que segue intenso mesmo com o tempo instável.

Especial Fronteira Oeste do RS

Em Alegrete (RS) deve chover 11 milímetros nesta quarta, dia 16, sendo boa parte pela manhã (8 mm) e o restante à tarde (3). As temperaturas devem chegar a 40ºC a tarde e 28ºC à noite. Já em Uruguaiana o tempo deve dar uma trégua e por lá deve chover apenas 5 milímetros na parte da manhã. A temperatura sobe para 31ºC a tarde e ainda mais a noite, chegando a 36ºC.

SUDESTE

Tempo instável, chuva e risco de temporais em áreas do Sudeste devido instabilidades no alto da atmosfera, além da aproximação de mais uma frente fria. O potencial para temporais ficam concentrados em áreas do interior paulista e de Minas Gerais, onde as pancadas ocorrem acompanhadas por trovoadas, descargas elétricas, rajadas de ventos e eventual queda de granizo. O tempo firme predomina no norte mineiro e norte capixaba devido a atuação de uma massa de ar seco.

CENTRO-OESTE

A expectativa é de tempo instável e pancadas de chuva em toda a região central do país devido instabilidades no alto da atmosfera. A chuva ocorre de forma rápida, intercalada com períodos de sol e calor, o que aliás, serve de combustível para os temporais. As pancadas devem vir acompanhadas por trovoadas e descargas elétricas no leste de Mato Grosso do Sul, além de áreas de Goiás.

NORDESTE

O tempo continua instável e a chuva ocorre em boa parte da região Nordeste devido instabilidades no alto da atmosfera. As pancadas são rápidas, intercaladas com períodos de sol e calor. No entanto, o tempo firme predomina apenas em áreas da Bahia, extremo sul do Piauí, além de áreas do interior de Pernambuco, Alagoas e Sergipe por conta de uma massa de ar seco que inibe a formação de nuvens carregadas.

NORTE

Quarta-feira com instabilidades tropicais mantendo a variação de nebulosidade e chuva sobre toda a região Norte do país. Dessa vez, os maiores acumulados ficam concentrados em áreas do Amazonas e do Pará, enquanto que nas demais áreas, a chuva é rápida e sem grande intensidade.

Veja mais notícias sobre soja

Sobre o Projeto Soja Brasil
O projeto tem a realização do Canal Rural e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), com a coordenação técnica da Embrapa Soja. O apoio institucional é do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB). A consultoria é de Safras & Mercado e Somar Meteorologia. O patrocínio é de Ihara e Mitsubishi Motors.

Mais notícias do Projeto Soja Brasil

Publicada em: 15 de fevereiro de 2019

Embate comercial entre China e Estados Unidos e câmbio enfraquecido limitam a perspectiva de alta nas cotações do grão no Brasil. Entenda o caso!

Publicada em: 15 de fevereiro de 2019

Por conta disso, previsão de safra apresentada foi pequena. Clima segue como fator importante para o desenvolvimento final de parte das lavouras do RS, SC e Matopiba

Publicada em: 15 de fevereiro de 2019

No porto de Paranaguá a saca da oleaginosa se desvalorizou R$ 2. Enquanto as praças do interior apresentaram estabilidade. Sexta abre com Chicago em alta e dólar em queda

Publicada em: 15 de fevereiro de 2019

Na região Sudeste a condição é de muitas chuvas, assim como no Centro-Oeste e Nordeste do país. Confira a previsão para 15 dias em municípios de cada região! Você também pode pedir a previsão do tempo para sua cidade, veja como!

Publicada em: 14 de fevereiro de 2019

Média esperada nas áreas semeadas é de até 55 sacas por hectare. Entenda o embargo que proíbe a comercialização do que vem sendo colhido! Setor produtivo apoia indígenas nesta causa