Esmagamento de soja atingiu novo recorde em 2017
Publicada em: 27 de dezembro de 2017

A dificuldade tributária não deve impedir que o processamento de soja continue crescendo no país em 2018. O setor estima que o esmagamento do grão deve aumentar 3,5% por causa do biodiesel

Roberta Silveira, de São Paulo (SP)

Além da produção recorde de soja neste ano, o esmagamento do grão em 2017 é o maior já registrado na história e, para o ano que vem, o setor já estima um novo recorde no processamento. São 41 milhões de toneladas processadas, o que representa 5% a mais do que em 2016.

Por causa da demanda elevada, a oferta de farelo e de óleo também cresceu neste ano, chegando a 31,5 milhões de toneladas e 8,2 milhões de toneladas de óleo de soja. Mesmo com esses números expressivos, a indústria de óleos vegetais tem reclamado que a tributação dos produtos estão atrapalhando o desempenho do setor.

“A tributação aqui no Brasil sobre os produtos industrializados é maior do que da matéria prima, o que é estranho. Nenhum país do mundo faz isto porque quer agregar valor, mas o que ocorreu desonerou a exportação da matéria prima e ainda não se desonerou completamente a exportação dos produtos. Sobram resíduos de Pis/Cofins, Icms e Funrural, que que incidem sobre a produção de produto industrializados”, disse Fábio Trigueirinho, presidente em exercício da Associação Brasileira de Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).

A dificuldade tributária não deve impedir que o processamento de soja continue crescendo no país em 2018. O setor estima que o esmagamento do grão deve aumentar 3,5% por causa do biodiesel. “Como já foi aprovado que, em março do ano que vem, nós vamos aumentar a mistura do biodiesel com o diesel mineral de 8% para 10%, essa mistura vai criar uma demanda forte para o óleo no mercado interno. É uma demanda nova que vai ajudar a crescer ainda mais a produção de soja, assim como o processamento e, como consequência, aumentar o nível de empregos”, contou Trigueirinho.

 

Sobre o Projeto Soja Brasil
O projeto tem a realização do Canal Rural e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), com a coordenação técnica da Embrapa Soja. O apoio institucional é do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB) e da Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem). A consultoria é de Safras & Mercado e Somar Meteorologia. O patrocínio é de BASF e Mitsubishi Motors. O apoio nos eventos é de Yara Brasil Fertilizantes.

Mais notícias do Projeto Soja Brasil

Publicada em: 15 de fevereiro de 2019

Embate comercial entre China e Estados Unidos e câmbio enfraquecido limitam a perspectiva de alta nas cotações do grão no Brasil. Entenda o caso!

Publicada em: 15 de fevereiro de 2019

Por conta disso, previsão de safra apresentada foi pequena. Clima segue como fator importante para o desenvolvimento final de parte das lavouras do RS, SC e Matopiba

Publicada em: 15 de fevereiro de 2019

No porto de Paranaguá a saca da oleaginosa se desvalorizou R$ 2. Enquanto as praças do interior apresentaram estabilidade. Sexta abre com Chicago em alta e dólar em queda

Publicada em: 15 de fevereiro de 2019

Na região Sudeste a condição é de muitas chuvas, assim como no Centro-Oeste e Nordeste do país. Confira a previsão para 15 dias em municípios de cada região! Você também pode pedir a previsão do tempo para sua cidade, veja como!

Publicada em: 14 de fevereiro de 2019

Média esperada nas áreas semeadas é de até 55 sacas por hectare. Entenda o embargo que proíbe a comercialização do que vem sendo colhido! Setor produtivo apoia indígenas nesta causa