EUA X China: novas tarifas derrubam preço e soja fecha em US$ 8,33 por bushel
Publicada em: 11 de julho de 2018
Câmbio

Durante todo o dia a Bolsa de Chicago trabalhou em queda, intensificando ainda mais as perdas da oleaginosa no final do pregão

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quarta-feira, dia 11, em forte baixa. Os contratos atingiram os menores patamares desde 2008, em meio à intensificação da guerra comercial entre Estados Unidos e China.

O governo da China prometeu impor novas barreiras à importação de produtos dos Estados Unidos em retaliação ao anúncio feito ontem pela Casa Branca de que a administração de Donald Trump se prepara para aplicar tarifas de 10% a um pacote de até US$ 200 bilhões em bens chineses.

1º Fórum Soja Brasil – Safra 2018/2018

“A China está chocada pelas ações dos Estados Unidos. A fim de salvaguardar os interesses centrais do país e os interesses fundamentais do povo, o governo chinês terá, como sempre, que adotar as contramedidas necessárias”, diz o Ministério do Comércio da China, em comunicado.

Os contratos da soja em grão com entrega em agosto fecharam com baixa 2,65%, a US$ 8,33 por bushel. A posição novembro teve cotação de US$ 8,48 por bushel, perda de 2,66% em relação ao fechamento anterior.

Nos subprodutos, a posição agosto do farelo caiu US$ 1,70 (0,51%), sendo negociada a US$ 330,50 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em agosto fecharam a 28,43 centavos de dólar, com baixa de 0,56 centavo ou 1,92%.

Veja mais notícias sobre soja

Sobre o Projeto Soja Brasil
O projeto tem a realização do Canal Rural e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), com a coordenação técnica da Embrapa Soja. O apoio institucional é do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB) e da Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem). A consultoria é de Safras & Mercado e Somar Meteorologia. O patrocínio é de BASF e Mitsubishi Motors. O apoio nos eventos é de Yara Brasil Fertilizantes.

Mais notícias do Projeto Soja Brasil

Publicada em: 15 de julho de 2018

Para eles, a soja brasileira pode até lucrar mais imediatamente ao suprir a demanda chinesa, mas isso pode gerar desequilíbrio a médio e longo prazo com outros parceiros

Publicada em: 13 de julho de 2018

Expectativa inicial é de que a produtividade seja menor, mas com incremento de 2,3% na área semeada com a oleaginosa, os números finais serão maiores que as da temporada anterior. Veja o quadro completo!

Publicada em: 13 de julho de 2018

Segundo levantamento da Farsul e da consultoria Safras & Mercado a situação ainda é bastante complicada. A própria Conab já afirmou não ter conseguido contratar caminhoneiros autônomos

Publicada em: 13 de julho de 2018

Segundo a meteorologia as temperaturas voltam a subir em todo o país, com possibilidade de o Rio Grande do Sul registrar máxima de 30ºC

Publicada em: 12 de julho de 2018

Se as expectativas da entidade se confirmarem, a colheita brasileira da oleaginosa ultrapassará em volume a americana, tornando-se a maior do mundo, com 120 milhões de toneladas