Meteorologia: temperaturas só voltam a subir a partir do dia 15
Publicada em: 11 de julho de 2018

Apesar do clima gelado poucos municípios registrarão chuvas no período. Ainda há risco para geadas no norte do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e sul do Paraná

As temperaturas ficarão baixas nos próximos dias, incluindo a região Norte do Brasil. As mínimas devem ficar na casa dos 5ºC no Sul, 10ºC no Sudeste e 15ºC no Centro-Oeste e Norte. Risco para geada somente no norte do Rio Grande do Sul, centro de Santa Catarina e sul do Paraná. A partir do dia 15 as temperaturas sobem um pouco.

De acordo com imagens de satélite e radares meteorológicos, não há registro de chuva significativa em nenhum ponto do Estado de São Paulo, além dos ventos permanecerem de intensidade fraca/moderada durante toda a madrugada. Durante as últimas horas a sensação de frio aumentou e as temperaturas permaneceram baixas, por causa da atuação de uma massa de ar fria em toda a região Sudeste.

SUL

As instabilidades perdem intensidade e a chuva fica concentrada apenas no litoral norte entre o Rio Grande do Sul e litoral sul de Santa Catarina. Enquanto na maior parte da região, é a massa de ar seco que predomina e mantém o predomínio de sol e céu claro ao longo do dia. Por conta do tempo seco e as baixas temperaturas, há chance de formação de nevoeiro em todo o sul e leste gaúcho, até Florianópolis, deixando a visibilidade baixa nos aeroportos. Com as baixas temperaturas, e a sensação de frio bastante forte, o risco para ocorrência de geadas aumenta nas áreas de serra no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, e assim como nas áreas do Sul e capital do Paraná.

SUDESTE

A frente fria segue avançando pela costa do Sudeste, provocando chuva em áreas do Espírito Santo, Rio de Janeiro e leste de Minas Gerais. Os maiores acumulados de chuva ficam concentrados no litoral do Rio de Janeiro, onde as pancadas acontecem a qualquer hora do dia. No litoral paulista, tem risco de chuva fraca devido a formação de uma área de baixa pressão próxima a costa, que acaba deixando o mar bastante agitado e com alerta de ressaca até São Sebastião (SP). As temperaturas seguem em declínio com a entrada de uma massa de ar polar, aumentando a sensação de frio em todo o estado de São Paulo e também no sul de Minas Gerais.

CENTRO-OESTE

O tempo continua seco, com predomínio de céu claro e bastante ensolarado. A umidade relativa do ar segue baixa, trazendo preocupação para a população, com índices de até 30%. As temperaturas seguem baixas, pelo menos durante as primeiras horas do dia, com sensação térmica ainda menor em todo o estado do Mato Grosso do Sul

NORDESTE

Há influência da massa de ar seco que atua em todo o interior, deixando o tempo firme e ensolarado. No litoral, a chuva segue persistente, com acumulados mais expressivos entre a costa do Maranhão até Pernambuco. O caloro ainda predomina, especialmente no período da tarde em áreas do sertão nordestino.

NORTE

Na quarta-feira pouca coisa muda na região. As pancadas de chuva persistem na metade norte devido às instabilidades tropicais, e o tempo firme predomina na faixa sul devido a massa de ar seco. A sensação de frio diminui em áreas do Acre e Rondônia, e as temperaturas apresentam elevação.

Quinta-feira

A massa de ar seco começa a perder força sobre a região Norte do país a chuva vai tornando sobre áreas do sul do Amazonas, sul do Pará e extremo norte do Tocantins. No entanto, a massa de ar seco ainda predomina na maior parte do Tocantins, por todo o estado de Rondônia e Acre. As temperaturas da manhã seguem em elevação.

SUL

As instabilidades perdem cada vez mais força com o avanço de uma massa de ar seco, e o tempo firme predomina em toda a região, onde o dia será de céu claro e ensolarado. No entanto, o frio aumenta nas primeiras horas do dia, especialmente em áreas mais altas, com risco de geadas. Também há risco para formação de nevoeiros em todo a faixa leste da região Sul, incluindo as três capitais, onde a visibilidade do aeroporto pode ficar baixa.

SUDESTE

A frente fria se afasta cada vez mais da costa do Sudeste, e com as instabilidades perdendo força sobre o Sudeste, as pancadas de chuva persistem somente entre o leste mineiro, norte fluminense e todo o estado do Espírito Santo. Nas demais áreas da região, o tempo segue seco e dessa vez, devido as baixas temperaturas, o risco fica por conta da formação de nevoeiros em toda a faixa leste de São Paulo e sul do Rio de Janeiro, incluindo os principais aeroportos, onde a visibilidade pode ficar baixa. Com queda de temperatura bastante acentuada nas áreas de Serra entre São Paulo e Minas Gerais, há risco para formação de geada. O mar segue agitado na costa paulista, com alerta de ressaca até São Sebastião (SP).

CENTRO-OESTE

O tempo continua seco em todo o Centro-Oeste devido a área de alta pressão atmosférica, que acaba inibindo a formação de nuvens carregadas, mantendo o dia de céu claro e predomínio de sol. A sensação de frio persiste nas áreas da metade sul do Mato Grosso do Sul, especialmente durante as primeiras horas do dia.

NORDESTE

A chuva segue forte no litoral norte da Região, com pancadas frequentes e com volume significativo. Já em pontos do interior da Bahia, sul do Maranhão e Piauí, incluindo extremo oeste de Pernambuco, a massa de ar seco ainda predomina. No sul da Bahia, a chuva retorna devido ao avanço de uma frente fria, onde os acumulados podem ser um pouco mais expressivos. O calor e o tempo abafado predominam, mesmo nas áreas com chuva.

NORTE

Na quinta-feira, a massa de ar seco começa a perder força sobre a região Norte do país a chuva vai tornando sobre áreas do sul do Amazonas, sul do Pará e extremo norte do Tocantins. No entanto, a massa de ar seco ainda predomina na maior parte do Tocantins, por todo o estado de Rondônia e Acre. As temperaturas da manhã seguem em elevação.

Sexta-feira

SUL

O tempo firme predomina em todo a Região Sul. No período da madrugada a temperatura segue baixa nas áreas mais altas do sul do país, com risco para formação de geada. Nas demais áreas da Região, a sensação também será de frio ao amanhecer e durante a tarde as temperaturas aumentam gradualmente, em comparação com os últimos dias.

SUDESTE

A frente fria se afasta de vez da costa, e o tempo firme passa a predominar em toda a Região. A massa de ar seco e fria atua no interior e as temperaturas apresentam leve aumento em comparação com dias anteriores, já sem risco para geada, porém ainda garantindo sensação de friozinho ao amanhecer entre São Paulo e sul mineiro. Nas demais áreas da região, as temperaturas são mais elevadas, garantindo sensação mais confortável durante a tarde. Risco de nevoeiro na faixa leste da Região.

CENTRO-OESTE

Sexta-feira de pouca mudança no tempo do Centro-Oeste. O tempo seco predomina ainda, mantendo o sol aparecendo ao longo de todo o dia, e esse cenário favorece para o aumento das temperaturas durante a tarde e também para a diminuição nos índices de umidade relativa do ar. O frio perde força e as temperatura da manhã apresentam gradual elevação em comparação com dias anteriores.

NORDESTE

Sexta-feira de instabilidades diminuindo na faixa norte da região, com potencial para chuva forte apenas na costa do Maranhão. Na faixa leste as instabilidades ganham força, ainda por conta da frente fria que avança próximo a costa da Bahia, garantindo pancadas mais duradouras em áreas litorâneas do centro e sul baiano. No interior nordestino, mais um dia de tempo aberto e com sol.

NORTE

Sexta-feira de sol e calor desde o Acre até o Tocantins. Nas demais áreas da Região, as instabilidades tropicais persistem e as pancadas de chuva ocorrem a qualquer hora do dia, mesmo com chuva a sensação é de abafamento.

Veja mais notícias sobre soja

Sobre o Projeto Soja Brasil
O projeto tem a realização do Canal Rural e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), com a coordenação técnica da Embrapa Soja. O apoio institucional é do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB) e da Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem). A consultoria é de Safras & Mercado e Somar Meteorologia. O patrocínio é de BASF e Mitsubishi Motors. O apoio nos eventos é de Yara Brasil Fertilizantes.

Mais notícias do Projeto Soja Brasil

Publicada em: 15 de julho de 2018

Para eles, a soja brasileira pode até lucrar mais imediatamente ao suprir a demanda chinesa, mas isso pode gerar desequilíbrio a médio e longo prazo com outros parceiros

Publicada em: 13 de julho de 2018

Expectativa inicial é de que a produtividade seja menor, mas com incremento de 2,3% na área semeada com a oleaginosa, os números finais serão maiores que as da temporada anterior. Veja o quadro completo!

Publicada em: 13 de julho de 2018

Segundo levantamento da Farsul e da consultoria Safras & Mercado a situação ainda é bastante complicada. A própria Conab já afirmou não ter conseguido contratar caminhoneiros autônomos

Publicada em: 13 de julho de 2018

Segundo a meteorologia as temperaturas voltam a subir em todo o país, com possibilidade de o Rio Grande do Sul registrar máxima de 30ºC

Publicada em: 12 de julho de 2018

Se as expectativas da entidade se confirmarem, a colheita brasileira da oleaginosa ultrapassará em volume a americana, tornando-se a maior do mundo, com 120 milhões de toneladas