Safra 2017/2018 – Resistência de plantas daninhas
Publicada em: 26 de setembro de 2017

O problema de resistência das plantas daninhas é algo mundial e traz problemas principalmente para as culturas de grãos. Muitas vezes a dose recomendada já não controla mais a planta invasora e o herbicida acaba sendo descartado. O último caso de resistência registrado no país foi sobre a Buva, que já era resistente ao glifosato e agora se tornou ao Paraquat.A causa era justamente por usar o produto sequencialmente, sem rotação. Existem outras alternativas sendo testadas pela Embrapa e que deverão ser usadas em rotação para evitar esta resistência.

Sobre o Projeto Soja Brasil
O projeto tem a realização do Canal Rural e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), com a coordenação técnica da Embrapa Soja. O apoio institucional é do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB). A consultoria é de Safras & Mercado e Somar Meteorologia. O patrocínio é de Ihara e Mitsubishi Motors.

Mais dicas do momento soja

Publicada em: 26 de setembro de 2017

As supersafras fazem com que o produtor tenha medo de que haja um excesso de oferta e estoques, promovendo assim queda nos preços.

Publicada em: 26 de setembro de 2017

O primeiro ponto a ser esclarecido é que o manejo de pragas não começa quando a praga aparece, mas sim no planejamento antes do plantio.

Publicada em: 26 de setembro de 2017

Há uma grande expansão das áreas de soja sobre pastagens degradadas. Mas, nos últimos anos, outra fronteira tem chamado a atenção, a rotação entre soja e cana-de-açúcar, no Nordeste, em São Paulo e Rio de Janeiro.

Publicada em: 26 de setembro de 2017

O vazio sanitário da soja é o período de pelo menos 60 dias que os campos não podem manter plantas de soja vivas, já que a cultura é a principal hospedeira do fungo que causa a ferrugem asiática. Este método foi instituído em 12 estados e Distrito Federal

Publicada em: 24 de agosto de 2017

Nos últimos anos, produtores e técnicos agrícolas têm tido dúvidas sobre arranjos de plantas alternativos, como redução do espaçamento, plantio cruzado, agrupamento de plantas entre outros. A Embrapa realizou um estudo sobre o assunto, em várias regiões, com cultivares diversas. Veja os resultados com o pesquisador Alvadi Balbinot.