Para a Conab, o Paraná terá produção de soja igual a 2018
Publicada em: 10 de janeiro de 2019

Projeção oficial é bastante diferente da realizada por associações do setor, que acreditam em até 5 milhões de toneladas a menos nesta temporada no estado, por conta da estiagem de novembro

Daniel Popov, de São Paulo
A seca que afetou o estado do Paraná em novembro, pegou muitas lavouras plantadas cedo (em setembro) de surpresa. O resultado, segundo algumas projeções de entidades do setor como a Aprosoja-PR, é de que a safra poderia quebrar em pelo menos 5 milhões de toneladas. Nesta quinta-feira, dia 9, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou sua estimativa e, para surpresa de todos, ela acredita que o Paraná deve produzir a mesma quantidade de soja do ano passado.

O novo levantamento de safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), surpreendeu ao mostrar que a estimativa para a soja é de colher 118,8 milhões de toneladas, ou seja, quebra de apenas 0,4% ante a temporada anterior, quando se colheu 119,2 milhões de toneladas. Em contato com a entidade a mesma informou que considerou as perdas de produtividade, mas que o potencial inicial era ainda maior, por isso a queda ante 2018 não se mostrou tão acentuada.

No Paraná, por exemplo, em comparação com à safra passada, a área é praticamente a mesma. Já a produtividade média estimada é superior a do ano passado, de 3.516 kg/ha (58,6 sacas por hectare), muito próxima ao da safra anterior, que foi de 3.508 kg/ha (58,4 sacas).

“Nossas perspectivas iniciais era de que o estado conseguiria uma produtividade próxima a 3.600 kg/ha (60 sacas), mas as estiagens afetaram as lavouras semeadas mais cedo”, diz Santana. “Acredito que para algumas lavouras os danos serão irreversíveis, principalmente no oeste do estado.”

Ainda assim, a Conab acredita que a produção no estado deve ser praticamente igual a do ano passado, ou seja, na casa de 19,17 milhões de toneladas.

O Deral fez uma estimativa em dezembro de 2018 colocando que até a ali a quebra seria de 500 mil toneladas, ou seja a produção ficaria de fato parecida com a prevista pela Conab. Leia abaixo!

Aprosojas

A combinação entre a falta de chuva e temperaturas elevadas em importantes estados produtores de soja vai afetar sensivelmente o resultado da safra brasileira 2018/2019. Ainda não há dados consolidados para quantificar a quebra em função da estiagem. No entanto, o Canal Rural entrou em contato com unidades da Associação de Produtores de Soja (Aprosoja) dos estados mais afetados pela seca para apurar uma estimativa do prejuízo. Levando-se em conta as projeções das entidades estaduais e o mais recente levantamento de safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a quebra pode chegar a algo em torno de 14 milhões de toneladas. Confira abaixo a reportagem na íntegra!

Veja mais notícias sobre soja

Sobre o Projeto Soja Brasil
O projeto tem a realização do Canal Rural e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), com a coordenação técnica da Embrapa Soja. O apoio institucional é do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB). A consultoria é de Safras & Mercado e Somar Meteorologia. O patrocínio é de Ihara e Mitsubishi Motors.

Mais notícias do Projeto Soja Brasil

Publicada em: 16 de janeiro de 2019

Para entidade, o Brasil deve ter concorrência maior na venda de derivados da oleaginosa, já que os argentinos devem se recuperar e produzir grande safra

Publicada em: 16 de janeiro de 2019

Em algumas praças, como em Santos (SP), a saca se desvalorizou R$ 3 em um dia. Mercado aponta melhoras nas lavouras brasileiras como uma das razões

Publicada em: 16 de janeiro de 2019

Além de destacar um município por estado do país, o Projeto Soja Brasil irá destacar as condições climáticas para a Fronteira Oeste do RS, que tem sofrido com o excesso de precipitações

Publicada em: 15 de janeiro de 2019

A perda dos agricultores do município pode superar os R$ 50 milhões, segundo a prefeitura. Teve sojicultor que contabiliza um revés maior de R$ 1,2 milhão. Confira todas as imagens e vídeos enviados para o Canal Rural!

Publicada em: 15 de janeiro de 2019

Segundo o Deral, o estado todo já conseguiu retirar 10% da oleaginosa do campo. Levantamento também mostra uma melhora nas lavouras restantes