Preço da soja cai até R$ 3 por saca no mercado brasileiro
Publicada em: 11 de janeiro de 2019
barcaça com soja

Após forte queda registrada na Bolsa de Chicago, valor do grão no país recua ainda mais. Dourados que negociava a saca por R$ 72,50, viu o valor recuar para R$ 69,50

Daniel Popov, de São Paulo
Nem mesmo a alta do dólar e a quebra de safra estimada para o país fizeram com que os preços da soja reagissem no mercado interno brasileiro. Vale ressaltar que a forte queda na cotação da oleaginosa na Bolsa de Chicago ajudou a pressionar os preços para baixo. Segundo a consultoria Safras & Mercado, o dia foi marcado por fraca movimentação, sem negócios relevantes.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos permaneceu em R$ 75. Na região das Missões, a cotação seguiu em R$ 74,50 a saca. No porto de Rio Grande, o preços caíram de R$ 79 para R$ 78,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço passou de R$ 71 para R$ 68,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca baixou de R$ 76,50 para R$ 74.

Em Rondonópolis (MT), a saca seguiu em R$ 68,00. Em Dourados (MS), a cotação recuou de R$ 72,50 para R$ 68. Em Rio Verde (GO), a saca caiu de R$ 68,50 para R$ 68.

Produtores

Para ajudar os produtores de soja de regiões mais distantes dos principais polos de negociação, o Projeto Soja Brasil está criando uma rede de preços, enviados por agricultores parceiros. A ideia é mostrar a situação em locais não acompanhados por consultorias.

Em Mangueirinha (PR), a saca caiu de R$ 67,50 para R$ 67. Em Coronel Bicaco (RS) a saca também se manteve estável em R$ 68. Em São Miguel do Iguaçu (PR), a saca recuou de R$ 66,50, para R$ 66. Em Ronda Alta (RS) a saca que era negociada a R$ 70, recuou para R$ 69,50.

Forte queda em Chicago na quinta

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços mais baixos. A falta de informações concretas sobre os resultados da reunião entre China e Estados Unidos no início da semana serviu de pretexto para um movimento de vendas por parte de fundos e especuladores.

Os contratos da soja em grão com entrega em março fecharam com baixa de 17,25 centavos de dólar ou 1,86%, a US$ 9,06 por bushel. A posição maio teve cotação de US$ 9,20 por bushel, perda de 17 centavos de dólar em relação ao fechamento anterior ou 1,81%.

Câmbio em alta

O dólar comercial encerrou a sessão de hoje em alta de 0,56%, sendo negociado a R$ 3,7100 para venda e a R$ 3,7080 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,6760 e a máxima de R$ 3,7250.

Chicago abre a sexta-feira em alta

Os contratos da soja em grão registram preços mais altos nas negociações da sessão eletrônica na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT). O mercado tenta uma recuperação frente às perdas da última sessão. Ao longo da semana, no entanto, a bolsa acumula perdas próximas a 1%, em meio ao ceticismo quanto a um entendimento comercial entre China e Estados Unidos. Seria a primeira queda em três semanas.

Os contratos com vencimento em março de 2019 operam cotados a US$ 9,11 por bushel, com alta de 4,25 centavos de dólar por bushel ou 0,46%

Veja mais notícias sobre soja

Sobre o Projeto Soja Brasil
O projeto tem a realização do Canal Rural e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), com a coordenação técnica da Embrapa Soja. O apoio institucional é do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB). A consultoria é de Safras & Mercado e Somar Meteorologia. O patrocínio é de Ihara e Mitsubishi Motors.

Mais notícias do Projeto Soja Brasil

Publicada em: 16 de janeiro de 2019

Para entidade, o Brasil deve ter concorrência maior na venda de derivados da oleaginosa, já que os argentinos devem se recuperar e produzir grande safra

Publicada em: 16 de janeiro de 2019

Em algumas praças, como em Santos (SP), a saca se desvalorizou R$ 3 em um dia. Mercado aponta melhoras nas lavouras brasileiras como uma das razões

Publicada em: 16 de janeiro de 2019

Além de destacar um município por estado do país, o Projeto Soja Brasil irá destacar as condições climáticas para a Fronteira Oeste do RS, que tem sofrido com o excesso de precipitações

Publicada em: 15 de janeiro de 2019

A perda dos agricultores do município pode superar os R$ 50 milhões, segundo a prefeitura. Teve sojicultor que contabiliza um revés maior de R$ 1,2 milhão. Confira todas as imagens e vídeos enviados para o Canal Rural!

Publicada em: 15 de janeiro de 2019

Segundo o Deral, o estado todo já conseguiu retirar 10% da oleaginosa do campo. Levantamento também mostra uma melhora nas lavouras restantes